Leitura Estratégica

Missão voluntária para Madagascar é tema de exposição fotográfica em Brasília

Realizada no Espaço Cultural do DF Plaza, em Águas Claras, a mostra intitulada “Olhar Sem Fronteiras” conta com 33 fotografias de autoria de caravaneiros brasileiros da Fraternidade Sem Fronteiras


Todo o aprendizado de uma missão humanitária para Madagascar, na África, não poderia ficar só na memória dos 17 caravaneiros brasileiros que aceitaram o desafio de viajar quase três dias – até o destino final, a cidade de Ambovombe, localizada a 9.168 km de São Paulo (SP) – com um único objetivo: servir ao outro, no espaço criado pela Fraternidade Sem Fronteiras (FSF), chamado Campo da Paz, onde a ONG brasileira desenvolve trabalhos humanitários desde 2017.

Foi daí que surgiu a ideia de realizar a primeira edição da exposição fotográfica “Olhar Sem Fronteiras:  Madagascar – uma viagem para dentro de nós”, que começa por Brasília e deve seguir para outras quatro capitais (São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador) até o final do ano.

De 18 de fevereiro a 31 de março, no Espaço Cultural do DF Plaza Shopping, em Águas Claras (DF), o público brasiliense vai poder conhecer, em primeira mão, por meio de 33 registros fotográficos, escolhidos de um acervo de mais de três mil fotos, um pouco da realidade do trabalho desenvolvido nos quatro polos da FSF na região, que acolhem mais de três mil pessoas com alimentação diária, água limpa e cuidados com a higiene, além de quase 400 crianças inseridas na escola e 100 casas construídas na Cidade da Fraternidade até agora.

De autoria dos caravaneiros Andrea Oliveira (SP), Caroline Pereira (SP), Dante Furlan (SP), Fátima Taniguchi (SP), Flávio Resende (DF), Goreti Bassi (paulista residente na Austrália), Lucas Campos (SP), Marcella Lima (MG), Marco De Luca (SP), Marília Learth (SP), Mônica Reichow (RS), Natália Mendes (RJ), Nelinho Chagas (BA), Raquelle Braz (RN), Sônia Remor (DF) e Vitor Brandão (RS), as fotos retratam, com sensibilidade e magnetismo, o dia a dia dos malgaxes (grupo étnico de metade da população da ilha de Madagascar, na costa leste da África) e a sua luta pela sobrevivência, com a escassez da água e os problemas em decorrência disso (proliferação de doenças, com destaque para o “bicho-de’ –pé”; escassez de alimentos; falta de noções de higiene e limpeza; entre outros).

De acordo com o curador da exposição, Flávio Resende, a proposta é sensibilizar o público para o trabalho desenvolvido pela Fraternidade Sem Fronteiras na maior ilha da África e a quarta maior do mundo. “Para que mais pessoas possam ter acesso ao trabalho desenvolvido pela ONG brasileira é necessário que tenhamos mais padrinhos, que possam contribuir com valores a partir de R$ 50 mensais, que farão muita diferença na vida de crianças e adolescentes que não têm acesso, muitas vezes, ao básico, como água limpa e alimento para matar a fome”, afirma.

Para Flávio, a missão humanitária é uma oportunidade ímpar do indivíduo fazer uma viagem para dentro de si mesmo, conhecendo ou revisitando o melhor e o pior dentro de cada um. “Não temos como voltar a mesma pessoa depois de uma experiência como esta. Crescemos em escala exponencial como seres humanos, aprimoramos nossa capacidade empática e conhecemos a verdadeira dimensão do amor”, descreve o curador.

Com curadoria técnica dos fotógrafos brasilienses Telmo Ximenes, Vanessa Vieira, Cristina Tavares, e Vinícius Santa Rosa; projeto arquitetônico do escritório Tânia Fernandes Arquitetura Inteligente; e Assessoria de Comunicação da Proativa, a exposição propõe-se, portanto, a inspirar um olhar mais sensível para a realidade do outro, despertando a empatia e o desejo de construção de um mundo mais igualitário e justo.

“De quebra, por meio das fotos, tentamos compartilhar o que nós, caravaneiros, aprendemos na prática com a filosofia africana denominada Ubuntu, que defende a ideia de que ‘Eu sou porque nós somos’. Ou seja: não faz sentido ser ou ter nada se essa realidade não for coletiva”, finaliza.

A exposição “Olhar Sem Fronteiras:  Madagascar – uma viagem para dentro de nós” conta com apoio do DF Plaza Shopping, Cumbuca Fotografia, Proativa Comunicação (por meio do projeto Proativos do Bem) e TF Arquitetura Inteligente.

Sobre a Fraternidade sem Fronteiras – A FSF é uma Organização humanitária Não-Governamental, com sede em Campo Grande (MS) e atuação brasileira e internacional. A instituição possui 45 polos de trabalho, mantém centros de acolhimento, oferece alimentação, saúde, formação profissionalizante, educação, cultivo sustentável, construção de casas e ainda, abraça projetos de crianças com microcefalia e doença rara.

Todos os trabalhos são mantidos por meio de doações e principalmente pelo apadrinhamento. Com R$ 50 mensais é possível contribuir com um projeto e fazer a diferença na vida de muitas pessoas. Entre seus maiores eventos estão o IV Encontro Nacional Fraternidade sem Fronteiras, que será de 17 a 19 de abril de 2020, em São Paulo/SP/Brasil. Mais informações podem ser obtidas pelo site e pelas redes sociais: instagram, facebook, youtube e twitter.

SERVIÇO:

O que: Exposição Fotográfica “Olhar Sem Fronteiras:  Madagascar – uma viagem para dentro de nós”

Onde: Espaço Cultural do DF Plaza Shopping

Quando: De 18 de fevereiro a 31 de março, das 10h às 22h.

Quanto: De graça (No lançamento da exposição (dia 18/02, às 19h), sugere-se a doação de itens de material escolar para doação a comunidades carentes)

Informações: 61 99216-9188

Crédito da foto: Olhar Sem Fronteiras -Lucas Campos

Missão voluntária para Madagascar é tema de exposição fotográfica em Brasília

Realizada no Espaço Cultural do DF Plaza, em Águas Claras, a mostra intitulada “Olhar Sem Fronteiras” conta com 33 fotografias de autoria de caravaneiros brasileiros da Fraternidade Sem Fronteiras


Todo o aprendizado de uma missão humanitária para Madagascar, na África, não poderia ficar só na memória dos 17 caravaneiros brasileiros que aceitaram o desafio de viajar quase três dias – até o destino final, a cidade de Ambovombe, localizada a 9.168 km de São Paulo (SP) – com um único objetivo: servir ao outro, no espaço criado pela Fraternidade Sem Fronteiras (FSF), chamado Campo da Paz, onde a ONG brasileira desenvolve trabalhos humanitários desde 2017.

Foi daí que surgiu a ideia de realizar a primeira edição da exposição fotográfica “Olhar Sem Fronteiras:  Madagascar – uma viagem para dentro de nós”, que começa por Brasília e deve seguir para outras quatro capitais (São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre e Salvador) até o final do ano.

De 18 de fevereiro a 31 de março, no Espaço Cultural do DF Plaza Shopping, em Águas Claras (DF), o público brasiliense vai poder conhecer, em primeira mão, por meio de 33 registros fotográficos, escolhidos de um acervo de mais de três mil fotos, um pouco da realidade do trabalho desenvolvido nos quatro polos da FSF na região, que acolhem mais de três mil pessoas com alimentação diária, água limpa e cuidados com a higiene, além de quase 400 crianças inseridas na escola e 100 casas construídas na Cidade da Fraternidade até agora.

De autoria dos caravaneiros Andrea Oliveira (SP), Caroline Pereira (SP), Dante Furlan (SP), Fátima Taniguchi (SP), Flávio Resende (DF), Goreti Bassi (paulista residente na Austrália), Lucas Campos (SP), Marcella Lima (MG), Marco De Luca (SP), Marília Learth (SP), Mônica Reichow (RS), Natália Mendes (RJ), Nelinho Chagas (BA), Raquelle Braz (RN), Sônia Remor (DF) e Vitor Brandão (RS), as fotos retratam, com sensibilidade e magnetismo, o dia a dia dos malgaxes (grupo étnico de metade da população da ilha de Madagascar, na costa leste da África) e a sua luta pela sobrevivência, com a escassez da água e os problemas em decorrência disso (proliferação de doenças, com destaque para o “bicho-de’ –pé”; escassez de alimentos; falta de noções de higiene e limpeza; entre outros).

De acordo com o curador da exposição, Flávio Resende, a proposta é sensibilizar o público para o trabalho desenvolvido pela Fraternidade Sem Fronteiras na maior ilha da África e a quarta maior do mundo. “Para que mais pessoas possam ter acesso ao trabalho desenvolvido pela ONG brasileira é necessário que tenhamos mais padrinhos, que possam contribuir com valores a partir de R$ 50 mensais, que farão muita diferença na vida de crianças e adolescentes que não têm acesso, muitas vezes, ao básico, como água limpa e alimento para matar a fome”, afirma.

Para Flávio, a missão humanitária é uma oportunidade ímpar do indivíduo fazer uma viagem para dentro de si mesmo, conhecendo ou revisitando o melhor e o pior dentro de cada um. “Não temos como voltar a mesma pessoa depois de uma experiência como esta. Crescemos em escala exponencial como seres humanos, aprimoramos nossa capacidade empática e conhecemos a verdadeira dimensão do amor”, descreve o curador.

Com curadoria técnica dos fotógrafos brasilienses Telmo Ximenes, Vanessa Vieira, Cristina Tavares, e Vinícius Santa Rosa; projeto arquitetônico do escritório Tânia Fernandes Arquitetura Inteligente; e Assessoria de Comunicação da Proativa, a exposição propõe-se, portanto, a inspirar um olhar mais sensível para a realidade do outro, despertando a empatia e o desejo de construção de um mundo mais igualitário e justo.

“De quebra, por meio das fotos, tentamos compartilhar o que nós, caravaneiros, aprendemos na prática com a filosofia africana denominada Ubuntu, que defende a ideia de que ‘Eu sou porque nós somos’. Ou seja: não faz sentido ser ou ter nada se essa realidade não for coletiva”, finaliza.

A exposição “Olhar Sem Fronteiras:  Madagascar – uma viagem para dentro de nós” conta com apoio do DF Plaza Shopping, Cumbuca Fotografia, Proativa Comunicação (por meio do projeto Proativos do Bem) e TF Arquitetura Inteligente.

Sobre a Fraternidade sem Fronteiras – A FSF é uma Organização humanitária Não-Governamental, com sede em Campo Grande (MS) e atuação brasileira e internacional. A instituição possui 45 polos de trabalho, mantém centros de acolhimento, oferece alimentação, saúde, formação profissionalizante, educação, cultivo sustentável, construção de casas e ainda, abraça projetos de crianças com microcefalia e doença rara.

Todos os trabalhos são mantidos por meio de doações e principalmente pelo apadrinhamento. Com R$ 50 mensais é possível contribuir com um projeto e fazer a diferença na vida de muitas pessoas. Entre seus maiores eventos estão o IV Encontro Nacional Fraternidade sem Fronteiras, que será de 17 a 19 de abril de 2020, em São Paulo/SP/Brasil. Mais informações podem ser obtidas pelo site e pelas redes sociais: instagram, facebook, youtube e twitter.

SERVIÇO:

O que: Exposição Fotográfica “Olhar Sem Fronteiras:  Madagascar – uma viagem para dentro de nós”

Onde: Espaço Cultural do DF Plaza Shopping

Quando: De 18 de fevereiro a 31 de março, das 10h às 22h.

Quanto: De graça (No lançamento da exposição (dia 18/02, às 19h), sugere-se a doação de itens de material escolar para doação a comunidades carentes)

Informações: 61 99216-9188

Crédito da foto: Olhar Sem Fronteiras -Lucas Campos