Sobrevivência em tempos de escassez

Sobrevivência em tempos de escassez

Como não ficar insolvente em um cenário com queda relevante nas vendas, tendência de aumento de inadimplência e concessão de crédito escasso? Confira as dicas do sócio da Treze Capital, Antonio Neto

Publicado dia 23 de abril de 2020

** Por Antonio Neto

“Normalmente, o que quebra a empresa não é a falta de viabilidade econômica, mas sim a falta de liquidez” –  Autor desconhecido

Se você trabalha no mercado financeiro, provavelmente já ouviu a frase acima, ou mesmo conheceu algum caso que prove sua eficácia.  Realmente, a grande ameaça à continuidade das atividades de uma empresa é a falta de caixa.

Então, como não ficar insolvente em um cenário com queda relevante nas vendas, tendência de aumento de inadimplência e concessão de crédito escasso?  Seguem abaixo algumas ações para mitigar o risco de iliquidez / insolvência de seus negócios:

  • Faça uma análise minuciosa e conservadora de seu “contas a receber”. É fundamental saber o volume de recursos que você pode contar e quando
  • Gestão ativa de pagamentos: se possível, negocie um stand still (período de carência de pagamentos) com os credores. Segregue e renegocie os pagamentos essenciais, corte (ou também renegocie, se não puder cortar) os não essenciais e não caia no erro de tentar agradar a todos – assim, você vai quebrar!
  • Otimização de ativos: venda de ativos não essenciais, terceirização, lastro para alavancagem ou, até mesmo, dação em pagamento de dívidas
  • Revisão de contratos com prestadores de serviços, aluguéis e fornecedores não estratégicos
  • Otimização de headcount: simplificação de estrutura, eliminação de funções e/ou departamentos não essenciais
  • Simplificação do portfólio de produtos / serviços: eliminação de itens não lucrativos e/ou que gerem ineficiências
  • Criação de novos canais de vendas / acesso a novos mercados: tecnologia é fator chave hoje em dia
  • Seja frio e racional e priorize seu negócio – colaboradores remanescentes, clientes e fornecedores estratégicos

E lembrem-se: leveza, adaptabilidade e disciplina!!

*** Antonio Neto é sócio da Treze Capital